Atividades

O inconsciente é a política: conversa com-texto – 2020

O inconsciente é a política: conversa com-texto – 2020

A partir de 2018, em meio às tensões produzidas pelo cenário político, um grupo de trabalho se reuniu em torno da desafiadora frase de Lacan “o inconsciente é a política”. Constituiu-se, assim, um espaço de trabalho que, como a continuação do título indica, através de textos e do contexto da política no Brasil e no mundo busca entender, desvendar e preparar operadores na leitura da política com a psicanálise.

Seria necessário lembrar que a política é uma das dimensões vitais das comunidades dos seres falantes? Que não há organização social, em que nível esteja, que não produza e reproduza ação política? E que, para nós, trabalhadores do inconsciente, é necessário e fundamental entender os mecanismos que assujeitam o sujeito político?

Estamos retomando as atividades e, neste ano, a ênfase é a lógica que orienta a leitura da política com a psicanálise: aí onde “o inconsciente é a política” lê-se uma lógica, a que é dada a partir da estrutura de linguagem que submete os sujeitos, seus corpos, sua organização. A lógica do não-todo, é isso que nos orienta, e é isso que nos propicia evitar “as armadilhas da psicanálise aplicada”: “Quando Freud fala do exército e da Igreja, não faz psicanálise aplicada, faz psicanálise” [Jean-Claude Milner][1].

Portanto estamos nos propondo a construir, juntos, esse modo de ler a política com a psicanálise.

Fica o convite.

 

Coordenação: elisa arreguy maia

 

As atividades são franqueadas aos interessados que devem entrar em contato através dos telefones: 3281 9605 ou 99967 6989.

Início: 14 de março de 2020, sábado, de 10h às 12hs

Local: Aleph – Escola de psicanálise

 

Bibliografia inicial:

DANZIATO, Leonardo. O fim do Inconsciente. In: A psicanálise no laço social: ciência, capitalismo e mal-estar na contemporaneidade. Rafael Lobato  PINHEIRO, e Raul Max Lucas da COSTA, organizadores. Curitiba: Ed. CRV, 2017. P. 17 a 32.

MAIA, Elisa Arreguy e Féres, Nilza. Meninos e meninas na rua, uma intervenção. PBH: 2000.

ZIZEK, Slavoj. Eles não sabem o que fazem. Cap. III: A fantasia ideológica; Cap.V: O grafo do desejo: uma leitura política. RJ: Jorge Zahar Editor. 1992. P. 61-63 e p. 99 a 126.

[1] MILNER, Jean-Claude. Claridad de todo – de Lacan a Marx, de Aristóteles a Mao. Buenos Aires: Manatial, 2012. P.53.