Comissões . Comissão de Cartel

Desde a fundação do Aleph – Escola de Psicanálise, o Cartel segue como um princípio, que se renova na nossa comunidade de trabalho, no nosso fazer d’Escola. Apostamos com Lacan, levando em conta a nossa experiência, nessa lógica coletiva situada a partir de uma falta no campo do Outro.

A Comissão de Cartel participa do acolhimento dos que chegam ao Aleph – Escola de Psicanálise, juntamente com as Comissões de Acolhimento e Ensino. Jacques Lacan, no dia 28 de fevereiro do ano de 1971, no “Ato de fundação”, se referiu ao Cartel como um dos modos de ingresso na Escola, sendo um “órgão de base” para a transmissão e sustentação do discurso analítico. A participação nesse “órgão de base” não é restrita aos analistas, os cartéis podem ser compostos, portanto, por analistas e não analistas. É acessível aos que endereçam temas para a experiência da produção de saber.

A inscrição de temas para cartéis é feita pelo envio de um e-mail para a secretaria do Aleph (aleph.psicanalise@terra.com.br), contendo: o tema proposto, nome completo do proponente, telefone e o endereço de e-mail. Assim, o tema será colocado na lista “Procura-se Cartel”, permanecendo até haver um número mínimo de inscritos ou durante o período máximo de um ano.

Aos interessados em se inscrever em algum tema dessa lista, solicitamos o envio de e-mail para
(aleph.psicanalise@terra.com.br) com os seguintes dados: tema, nome completo, telefone e o endereço
de e-mail. Quando for atingido o número de inscritos, a Comissão de Cartel entrará em contato com os cartelizantes para que reúnam e decidam entre convidar alguém para a função do +1, sendo este um nome a mais ou um dentre eles. O registro do Cartel na Escola será feito pelo +1 e, a partir desse registro, o tema constará na lista de “Cartéis Inscritos”.

Serão realizados dois eventos em 2022:

Dia 17 de agosto: Mesa sobre a função do mais um.

Dias 16 e 17 de setembro: Jornada de cartéis

Comissão de Cartel:
Henrique Dias N. A. Alves
Maria Augusta Friche
Mônica Brandão