Atividades

Seminário de Leitura de Lacan

O seminário de leitura opera ao abrir picadas e limpar o terreno “em
descanso” (FRICHE) na densa transmissão oral de Lacan. Seguir seus
avanços, descobertas linguageiras – quando ele próprio se escuta, em
seus recuos, suspensões, associações livres – exige daqueles que leem o
seminário um esforço de desdobrar o que se encontra dito sob a forma
elíptica das alusões e elisões [Trabalho da Coordenação do Seminário de
Leitura de Lacan, apresentado na XXVI Jornada do
Aleph – Escola de Psicanálise, novembro 2021 Inédito].

 

A Escola sustenta a proposta de continuar a leitura do seminário “De um discurso que não seria do semblant” palavra a palavra: “É da palavra (parole), certamente, que se abre o caminho para o escrito” (LACAN, lição de 17 fev. 1971, p. 71*/ 78). Da palavra ao escrito, do escrito à letra em um movimento que nos leva à precisão lógica do ponto de escrita.

Pode parecer que o seminário já excessivamente “teórico”, porém, o que se apura é, de novo, uma leitura clínica. Lembramos que a questão da letra já fora posta desde o início nos Escritos, em “A carta roubada”, e se recoloca em “A instância da letra”.Da distinção entre letra e significante, partimos agora em direção à letra. Do aparente hermetismo do Seminário 18, da falsa dicotomia entre teoria e clínica, aqui se renova, entre o mais-de-gozar e a causa, a operação de extração do gozo.

Sustentado pelo discurso escrito em torsão, pelo pequeno objeto a em posição de semblant, contingencialmente um truc se dá, um truc difícil aos “ocidentados”.
A pavimentação teórica indicada aos saltos e fornecida em ato nesse seminário, com a metáfora que não vai sem a metonímia, segue para além da representação do sujeito referido à cadeia dos significantes. Entre saber e gozo, a leitura do texto nos convida ao litoral.

Coordenação: Cristina Holzinger, Elisa Arreguy Maia, Graça Curi, Paula Strozenberg, Vanda Pignataro Pereira.

Frequência: quinzenal, às 5as.feiras, das 20.30h às 22

Datas: 24 de fevereiro (início).

Para outras informações, os interessados deverão se dirigir à secretaria da Escola, com Rute, pelo telefone 3281-9605 ou e-mail: aleph.psicanalise@terra.com.br
Bibliografia:
ALLETON Viviane. Escrita chinesa. LP&M Pocket. PoA: 2010.
MAIA, Elisa Arreguy. Textualidade Llansol – literatura e psicanálise. BH: Scriptum, 2012.
LACAN, Jacques. Seminário, livro 18 – De um discurso que não seria do semblant(1971).*
_____. O saber do psicanalista. Inédito. Lição de 6 de janeiro de 1972.
_____. Outros escritos. 2003. Radiofonia. Pergunta III, p. 413.
_____. Escritos, 1998 (1966). Seminário sobre “A carta roubada”, p. 13.
O capital, livro 1, seção 3, A produção do mais-valor absoluto. São Paulo: Boitempo, 2017.
* Há uma versão autorizada da Zahar (2009). A coordenação opta por seguir com a versão, compartilhada em tela, do Centro de Estudos Freudianos do Recife (publicação não comercial), cotejada com a transcrição do francês.

 

Seminário de Leitura

de Lacan

de Freud

Feriado

Março: 10 17 24 31

Abril: 07 14 21 28

Maio: 5 12 19 26

Junho: 2 9 16 23 30

Segundo semestre:

Agosto: 4 11 18 25

Setembro: 1 8 15 22 29

Outubro: 6 13 20 27

Novembro: 3 10 17 24